Blog da Oficina

O Segredo de Miguel

Miguel contempla as estrelas no quintal da sua casa.Enche o peito de ar, abre os braços, inclina a cabeça para o alto e se sente leve.O som da televisão da sala fica cada vez mais distante.

– Miguel, Miguel, ... onde você está? – grita seu pai.

– Pai! Estou aqui, no quintal – responde Miguel após algum tempo.

– Mas o que é isso, Miguel? Onde você estava? Que desespero o meu.Te procurei por todo lado!Já não é a primeira vez que você faz isso comigo.Vai dizer que estava aqui o tempo todo se escondendo?

– Pai, me desculpe.Eu realmente estava aqui, não respondi porque estava distraído.Acho que cochilei de pé.

– Eu te procurei por todos os cantos e não te achei.Mas chega disso ... Quero que me prometa que não vai mais se esconder.Pode fazer isso por mim?

– Sim – responde Miguel de cabeça baixa e envergonhado.

– Agora vamos dormir. Pela manhã temos uma visita a fazer no apartamento de sua tia.Ela nos pediu para ver se está tudo certo por lá enquanto viaja de férias.

Na manhã seguinte, ao se depararem com o elevador do prédio da tia em manutenção, tiveram que subir pela escada até o apartamento que ficava no décimo andar.

– Filho, você sabe que me preocupo muito com você, afinal, somos só nós dois.Ultimamente vejo que você anda muito calado e reservado. Quer me contar alguma coisa? Por que tanto segredo? Compartilhe comigo o que lhe aflige...

– Pai, não quero te deixar preocupado, são coisas minhas, bobagens...

– Mas tem relação com esses sumiços, não tem?

Miguel não responde,respira fundo e continua a subir as escadas. De repente um estrondo ensurdecedor toma conta do prédio.Uma grande explosão ocorre nos andares de baixo.

– Pai! O que é isso? O que está acontecendo?

– Temos que sair daqui agora!Vamos descer!

Fumaças e chamas surgem dos andares de baixo.Descer não é mais uma opção.Sobem correndo até chegar ao décimo e último andar. Conseguem entrar no apartamento e fecham a porta.

– Miguel,você não vai morrer aqui!Não tem salvação para nos dois, mas você pode se salvar... – fala o pai, tentando manter um resto de lucidez. – Vá, meu filho... pule dessa janela agora!Seu pai não pode ir, mas você pode.

– Não... O que você está dizendo?Eu não posso fazer isso!Se é para morrer, morro aqui com você. –O pai abraça Miguel como se quisesse transferir todo o seu sentimento, beija a sua testa e fala:

– Meu filho, seu pai te ama. Não posso mais ficar contigo, mas você é especial, muito especial.Eu sempre soube do seu segredo, você não quis me contar..., mas eu sempre soube. Assim como a sua mãe, você tem um dom, um dom de Deus, o poder dos anjos.

– Miguel olha para o pai, tenta abrir a boca para falar, mas não consegue. Seu pai o joga pela janela e ele cai do décimo andar.

Em queda livre, Miguel vê de relance seu pai ser engolido pela fumaça.Restaria agora morrer na queda.Mas não foi a loucura ou o desespero que fez seu pai jogá-lo pela janela.Foi a certeza do que estava fazendo. Miguel não chega a tocar no chão, flutua a poucos centímetros do solo.Ele é capaz de voar, assim como os anjos...Seu pai sempre soube aquele segredo.

Alberto Henrique Sousa é analista de sistema e cartunista. Mora em Uberaba-MG. (https://www.instagram.com/albertosousaart/)

Alberto Henrique Sousa
04/10/2019

 

 

Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela