Dica de Escrita

Seu, sua, seus, suas, como evitar ambiguidades produzidas por esses pronomes?

O uso dos pronomes possessivos de terceira pessoa seu, sua, seus, suas pode dar lugar a sentidos ambíguos, como no exemplo a seguir:

João, Pedro saiu com o seu carro.

Aqui o pronome seu não esclarece de quem é o carro, se de Pedro ou de João.

Para evitar a confusão, em situações como essa, substitui-se o pronome causador da ambiguidade (seu) por dele, dela, deles, delas, do senhor, etc., que deixam explícito o possuidor.

Se o carro for de Pedro, poderíamos dizer:

João, Pedro saiu com o carro dele.

Se o carro pertencer a João:

João, Pedro saiu com o carro do senhor.

Assim, mesmo que o contexto de uso possa desfazer possíveis ambiguidades, em textos escritos, é aconselhável evitar o emprego dos pronomes possessivos seu, sua, seus, suas sempre que houver qualquer possibilidade de mais de uma interpretação. O leitor agradece.

Aliás, na revisão de textos de diferentes gêneros, mais particularmente em narrativas de iniciantes, tenho constatado um emprego excessivo desses pronomes; na maior parte das vezes, desnecessários. Nesses casos, basta uma leitura atenta para eliminar todos os pronomes (e outros termos) não necessários.


Texto originalmente publicado no blog Scriptura e getilmente cedido pela autora

Neiva Tebaldi Gomes
15/07/2020

 

 

Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela