Dicas de Leitura

Ana Mello

Vi um papo nas redes sociais sobre as dicas de livros que aparecem na novela Amor à vida. Opiniões diversas, a maioria criticava a pouca qualidade dos diálogos entre os personagens quando falavam dos livros, porque os diálogos são mal encaixados e não tem muito a ver com o contexto. Concordo. Adoro novelas, gosto de acompanhar as tramas, as características dos personagens e gosto mais ainda de escutar as pessoas que assistem às novelas só para criticar. Falam dos atores, das falhas, das roupas, da própria ficção que não tem nada a ver com a realidade. Ora bolas! Ficção é ficção e muitas vezes o autor não tem espaço para criar toda uma história e usa atalhos.

Sei que tem a tal verossimilhança, muito cobrada em livros e que mesmo sem saber o que significa, os simples mortais cobram das novelas. Tem que parecer verdade!

Indicar livros é bom, concordo também, mesmo no programa do Faustão, quando ele indica como se tivesse realmente lido antes. Melhor falar de livros do que não falar.

Embora a experiência me diga que a boa indicação vem sem querer, pelo exemplo. Explico – quando alguém vê você lendo no ônibus. Dá uma espiada, lê alguns dos seus parágrafos, tenta olhar a capa e finalmente pergunta: Que livro é esse?

Aí você fala do livro, do autor, e vai tecendo uma conversa sobre o que gosta de ler e o que seu interlocutor também gosta.

Pois eu estava lendo no ônibus, no banco do corredor, quando vi uma cena inusitada. Um rapaz, em pé ao lado de uma moça muito bonita e com uma calça muito apertada, mantinha a mão aberta e bem próxima dela, aproveitando os movimentos do coletivo para tocá-la de leve.

Olhei para meu vizinho de banco e ele sacudiu a cabeça mostrando indignação e apenas sorriu. Não resisti e bati no braço do rapaz que imediatamente olhou para mim. Perguntei se ele estava com a moça. Ele respondeu que não, então pedi que ele parasse de passar a mão na bunda dela. Avisei para ela também que ficou roxa de vergonha, mas não falou nada. Todos os demais ficaram quietos.

Na próxima parada ele desceu rápido e todos passaram a comentar indignados. Um pouco tarde para meu gosto. Deveriam mostrar o que é certo, dar o exemplo e no mínimo criticar o tarado.

 

Comentários:

Apesar de não gostar de novelas globais, daí não poder cobrar a "verossimilhança" - muito bem colocada por vc no texto-, o caso no ônibus merece minha opinião:
- Mesmo que fosse um casal,não existem motéis(ou casas deles)? Num ônibus?
- Certa vez estava num ônibus, um casal jovem na calçada estava abraçado e se beijando na boca. Pessoas no ônibus reclamaram "falta de vergonha, etc". Eu analisei a cena mentalmente assim:
"Eles estão fazendo amor e não uma cena de violência!".
Jackson Franco, Recife/PE 28/02/2014 - 19:37

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "062504" no campo ao lado.
 
  

 

Voltar
Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela