Redução de danos na educação

Geni Oliveira

Atualmente, fala-se muito em redução de danos. A minha proposta pode, a princípio, parecer polêmica, mas é resultado de observações feitas durante mais de trinta anos de atividades na área da educação, da participação em inúmeros cursos e seminários e da autocrítica. Talvez o profissional que mais cause danos no exercício da profissão, voluntária ou involuntariamente, seja o professor. Os motivos são vários: inexperiência, irresponsabilidade, falta de motivação, de comprometimento com a educação, pressões do próprio sistema, alienação... Alguns danos são irreversíveis e tão sutis que a própria vítima não é capaz de detectar. Sente-se, muitas vezes, responsável pelo ocorrido julgando-se menos inteligente, menos capaz, um zero à esquerda.

Quantas vezes contribuímos para baixar a autoestima dos nossos alunos? Quantas vezes nos vingamos deles por não sermos capazes de resolver nossos próprios conflitos? Quantas vezes ignoramos um olhar aflito, um pedido de socorro?

A minha proposta é causarmos o mínimo de danos na medida do possível. A regra de trânsito "na dúvida, não ultrapasse" deveria servir para nós, professores. Quando estivermos com muita raiva (afinal, somos humanos), sugiro sairmos de cena para refletir melhor. Quando não soubermos o que fazer, buscar ajuda com outros profissionais e não tentar resolver tudo como se fôssemos semideuses.

Às vezes, o aluno precisa apenas de um olhar de cumplicidade, de um gesto de carinho e não de um sermão. Não considero a adolescência desculpa para atitudes irresponsáveis, mas uma etapa da vida em que a instabilidade supera a própria razão.

Enfim, a minha sugestão é que respeitemos o aluno nos seus limites e descubramos as suas potencialidades para que se torne uma pessoa íntegra, responsável e que se lembre de nós, ao longo da vida, como alguém que realmente se importou com ele.

 

Comentários:

Tuas opiniões refletem uma boa experiência como professora, elas são lúcidas e honestas.
Maria Rosa Fontebasso, P. alegre 31/05/2019 - 10:44
Muito bom texto. Uma antevisão do resultado atual. Alguns fizeram de conta que ensinaram. Outros que pagaram por isso.E estudantes mal orientados, hoje elegem o destruidor da educação de uma forma possivelmente irreversível para algumas gerações. O tal ovo da serpente.
MARCOS PERINI, Porto Alegre 07/05/2019 - 07:48

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "113607" no campo ao lado.
 
  

 

Voltar
Site desenvolvido por metamorfose agência digital

DEPOIMENTOS

"Fiquei muito satisfeito com o conteúdo da Oficina. Minha experiência com escrita, agora vejo com maior clareza, era inteiramente prática ou intuitiva e, certamente, passível de ser substancialmente melhorada. Gostei muito da orientação obtida através da Oficina e, em particular, da tua avaliação do material dos desafios."

Décio Oliveira Elias,
Rio de Janeiro, RJ

mais depoimentos

 

Para Oficina de Criação Literária

 

 

 

curso desenvolvido pela